Conselheiros Municipais de Salvador tomaram posse nesta quarta-feira (15)

IMG-20180116-WA0011

 

Tomaram posse ontem (15), em cerimônia realizada no Teatro Gregório de Mattos, os novos Conselheiros Municipais de Política Cultural de Salvador, representantes do Poder Público e da sociedade civil, estes divididos em segmentos e territórios culturais.

A partir desse mandato, o CMPC passa a ter composição tripartite, contendo 10 representantes do poder público, 10 representantes de segmentos culturais e 10 representantes de territórios. Na ocasião foram empossados 58 conselheiros, sendo que no período eleitoral não houve cadastro para o território de Valéria, o que demandará eleição suplementar para definir o titular e o suplente que vai representar a localidade.

O evento contou com a participação do Chefe de Gabinete do Prefeito, João Roma, que destacou o aspecto da proximidade que o CMPC pode favorecer entre a sociedade civil e o poder público. “Nada melhor do que estabelecer o diálogo e avançar em diversas questões, fortalecendo o fluxo de comunicação e dirimindo potenciais conflitos que possam eventualmente existir”. Além disso, o gestor considerou o papel dos conselheiros fundamental para a cidade, para a proteção, projeção e fomento da Cultura.

Já o secretário municipal de Cultura e Turismo, Claudio Tinoco, classificou o CMPC como o conselho mais atuante da cidade, que vem ajudando a administração municipal a encontrar  priorização na intermediação com os interesses da sociedade.  Destacou as diversas ações realizadas na área cultural durante a gestão do Prefeito ACM Neto, entre elas o aumento do orçamento municipal para a pasta da Cultura, a criação e ampliação de editais, a reforma de espaços, como o Teatro Gregório de Mattos e o Espaço Cultural da Barroquinha, a criação de novos espaços, como o Espaço Pierre Verger no Forte de Santa Maria, o Espaço Carybé das Artes no Forte de São Diogo e a Casa do Rio Vermelho, em homenagem a Jorge Amado. Além disso, anunciou que a Prefeitura vai inaugurar a Casa do Carnaval no dia 05 de fevereiro e  lançar edital de licitação para a construção do Museu da Cidade e do Arquivo Histórico Municipal em março. O gestor destacou ainda a importância do programa de incentivo à cultura, Viva Cultura, na dinamização do setor cultural, a criação de 5 espaços Boca de Brasa em áreas estratégicas da cidade, bem como a criação do Centro de Educação Integral de Coutos, que irão possibilitar a descentralização das ações culturais na cidade.

O presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, considerou o CMPC como um grande ponto de encontro entre a sociedade civil, artistas e gestores públicos, em que deve ser estimulado o diálogo e apresentadas as demandas e soluções para a área cultural de Salvador. Destacou a diversidade como um ponto forte da atual composição, sendo portanto necessário desenvolver discussões pautadas na tolerância e na capacidade de ouvir, a fim de enriquecer os debates. Além disso, o gestor informou que na primeira gestão foi desenhado o Diagnóstico Cultural de Salvador e agora o desafio do CMPC é atuar junto com a FGM na construção do Plano Municipal de Cultura ainda em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *