Conselho inicia discussões sobre o Plano Municipal de Cultura e o Mapeamento Cultural de Salvador

Em sua 7ª reunião ordinária, o Conselho Municipal de Política Cultural de Salvador discutiu, juntamente com técnicos da Fundação Gregório de Mattos (FGM), o processo de construção do Plano Municipal de Cultura e o Mapeamento Cultural de Salvador.

As ações que serão realizadas para a construção do Plano Municipal de Cultura foram apresentadas pela gerente de Linguagens Artísticas da FGM, Viviane Ramos. O documento é o instrumento de planejamento estratégico do Sistema Municipal de Cultura (SMC), conforme previsto na Lei nº 8551/2014, e tem a finalidade de organizar, regular e nortear a execução da política cultural do Município em um período de dez anos. O CMPC deverá propor as diretrizes gerais, acompanhar e fiscalizar a execução do Plano.

Já o Mapa da Cultura foi exposto pelo gestor do Núcleo de Tecnologia e Informação da FGM, Eric Castro, e integra o Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC), também instrumento de gestão do SMC. A plataforma digital é colaborativa, podendo ser alimentada por agentes culturais ou cidadãos interessados a qualquer tempo, e vai reunir informações sobre agentes, espaços, eventos e projetos culturais na cidade. Já em funcionamento, a ferramenta vai contribuir paro o diagnóstico da área de cultura e fornecer informações sobre o cenário cultural de Salvador para os cidadãos. A plataforma é resultado da parceria entre o Ministério da Cultura e o Instituto Tim. O mapa pode ser acessado pelo link http://mapas.cultura.gov.br/

Após amplo debate e contribuição dos/as Conselheiros/as, o CMPC decidiu, por unanimidade, a criação de uma comissão temática para acompanhar a formulação da metodologia e execução do Plano Municipal de Cultura e do Mapeamento Cultural de Salvador. A comissão é formada pelos/as conselheiros/as Kilson Santana de Melo, representante de Música; Jadson Santos do Nascimento, representante do território Valéria/Cajazeiras; Soiane Gomes Paula, representante da Dança; Paulo Hermida Gonzalez, servidor da Casa Civil; e Danilo Moura representante de Culturas Identitárias e Inclusivas.

O encontro contou também com a participação de representantes da Federação Baiana de Quadrilhas (Febaq), cujas solicitações foram encaminhadas para a comissão temática de Cultura Popular e Identitária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *